Filii Futuri
Origenes

Origenes

Spread the love

O nosso universo existe há cerca de 14 mil milhões de anos, de acordo com a teoria do Big Bang. O Telescópio Espacial Hubble mostrou-nos centenas de milhões de galáxias, cada uma das quais pode conter milhares de milhões de estrelas. Na nossa galáxia, a Via Láctea, existe uma estrela, o nosso Sol, à volta do qual viajamos no nosso planeta Terra. Céu e inferno, inferno e céu. A vida nunca foi fácil, nem mesmo para o Homo sapiens. Mas o homem adquiriu competências e conhecimentos, inventou tecnologias e máquinas, de modo que, ao longo dos milénios, grandes e poderosas civilizações floresceram e morreram, sempre numa constante alternância entre relações comerciais amigáveis e opressão marcial.

O Renascimento, o Iluminismo, o colonialismo e o capitalismo fizeram a humanidade sair das trevas e da pobreza da Idade Média para uma sociedade próspera, por vezes luxuosa. Produzimos mais do que nunca, sobretudo a baixo preço, à custa dos pobres, dos animais e do ambiente…. A ganância pelo dinheiro e pelo poder leva-nos a pagar uma ninharia pelo trabalho árduo, a capturar impiedosamente os animais, a esvaziar os mares, a abater as florestas tropicais, a poluir o ar que respiramos com gases de escape, a violar deliberadamente os direitos humanos, a espezinhar a paz e a transmitir o ambiente à geração seguinte num estado que só pode ser descrito como alarmante.

A maioria dos sistemas económicos actuais vê o nosso planeta apenas como um produtor de matérias-primas, vêem-no em números pretos e vermelhos. Nós, as Crianças do Futuro, vemo-lo como um ecossistema complexo, que fornece muito mais do que bens e valores monetários, vemo-lo como a nossa casa. Até há pouco tempo, isto não era um problema, mas a explosão demográfica das últimas décadas, graças à medicina moderna, e a sobreprodução causada pela industrialização, combinada com o desperdício, o desrespeito e a preguiça, estão a levar o nosso planeta ao limite da existência, pelo menos ao limite de uma existência habitável. Antigamente as pessoas eram simples e viviam por necessidade com o pouco que tinham, atualmente as pessoas vivem a crédito, usam/desperdiçam mais do que deviam (Earth Overshoot Day).

Os sistemas económicos devem tornar-se ecológicos, [o capitalismo deve evoluir para o ecocapitalismo, o comunismo para o ecocomunismo e o socialismo para o ecossocialismo], onde aqueles que protegem o ambiente e adoptam valores favoráveis à nossa civilização são recompensados com dinheiro. Esta ideia baseia-se em dois fundamentos:
1.) Ainda não existe o planeta B, por isso nós, os Filhos do Futuro, vivemos como uma sociedade sustentável em harmonia, em simbiose com a natureza, submetendo-nos voluntariamente a restrições e cumprindo requisitos, produzindo bens e valores, mas sem desperdícios, reciclando a 100% para garantir que a vida no planeta Terra ainda valerá a pena ser vivida daqui a 10, 100, 1000 ou 10000 anos.

2.) É mais fácil e mais barato imprimir dinheiro do que endireitar o clima da Terra. Antigamente, o dinheiro era constituído por moedas, depois juntaram-se os títulos e as notas. O que era apenas papel branco, depois de impresso, passou a valer 100 dólares, £, €, ¥ ou qualquer outra moeda. Hoje em dia, o dinheiro existe também em formato eletrónico, nos computadores. Todos os dias, milhões e milhões são enviados para todo o mundo numa questão de segundos, com o toque de um botão.

Verificado por MonsterInsights